WarpCast 51 – River Raid

No episódio da semana, trouxemos um dos maiores clássicos do Atari 2600: River Raid. Para falar tudo sobre esse jogo tão inovador e também da sua programadora, Carol Shaw, JP Moraes e Mano Beto recebem Rodrigo Reche (Fliperama de Boteco / Autor do livro Videogames: Crônicas de um Jogador).

Então encha o tanque e venha ouvir!

>>>COMPRE AQUI OS INGRESSOS PARA A BGS<<<

RECURSOS
Download em MP3
Se inscreva via RSS
Se inscreva no iTunes
Ouça pelo Spotify


LINKS DO EPISÓDIO
Adquira/ajude no financiamento do livro Videogames: Crônicas de um jogador
Fliperama de Boteco

Previous ArticleNext Article
  • Fábio Pacheco Alcantara

    Esse programa foi maravilhoso, lembrou e apresentou para quem é mais novo o começo dos jogos eletrônicos. Esse programa foi muito bom porque além de falar de um jogo muito legal até hoje, fala do papel da mulher nesse mercado.
    Que mais programas desse tipo sejam feito e que no próximo tenha a presença de uma mulher, para ficar mais legal ainda.
    Ah, eu pensei que iriam falar do lendários finais de river raid, onde o piloto desce do avião e da tchau, pousa e sai correndo e outros tantos, he he he he.

    • Fala, Fábio! Infelizmente a Andreia não pode participar dessa gravação mas a gente tomou bastante cuidado de não começar a dizer coisas que sabemos que não temos lugar de fala. Outra oportunidades virão de falar desse espaço merecido das mulheres na programação e aqui no podcast tb. Essa é uma preocupação nossa e estamos tentando MUITO mudar isso.

      Quanto aos finais vc me fez lembrar de um monte agora… aquelas famosas lendas urbanas que sempre um amigo de um amigo viu acontecer e a gente tentava pra sempre repetir… hahahahah

      Abração!

      • Fábio Pacheco Alcantara

        Que pena que a menina não pode ir.
        Vocês são dez.

        • ManoBeto

          E você é 11

  • Tiago Ramos Melo

    Pensa num jogo de Atari que eu ficava tenso só pra carregar o tanque de gasolina…Acho que River Raid foi o primeiro jogo que eu ficava pilhado por não conseguir alcançar tão longe por uma coisa bem besta. Engraçado que também podia destruir os pontos de gasolina (queria tentar fazer o “método suicida” do Reche pra encher o tanque e destruir) e pontuar, sem contar o cenário cheio de obstáculos que era um teste com o manche do controle de virar para um lado pro outro. Foi bom esse cast relembrar dessas jogatinas e o jogo de cabeceira da Atari.

    • ManoBeto

      Acho o som do reabastecimento bem recomfortante rs

      • Tiago Ramos Melo

        o melhor jeito é destruir pra você também kkkk.