GeekZone 19 – Clube dos Cinco


Sidney Rodrigues e JP Moraes recebem Glauber Costa (Café com Porrada), Vinicius Manzano (Nerdpub) e Poliana Roberta para um papo sobre Clube dos Cinco, filme de John Hughes que ajudou muito adolescente a se entender melhor assistindo à Sessão da Tarde.

Então pegue papel e caneta pra escrever uma redação sobre você e venha ouvir!

RECURSOS
Download em MP3
Se inscreva via RSS
Se inscreva no iTunes

LINKS DO EPISÓDIO
Conheça o Versus Podcast
Conheça o Nerdpub
Conheça o Café com Porrada

Previous ArticleNext Article
  • Fora a dificuldade pra se concentrar mesmo ouvindo a voz de “pregador de roupa no nariz” do Vinicius Sap, trocando M por B (que agonia! rs!), o episódio foi muito interessante. Na real eu nunca gostei muito de Clube dos Cinco. Tanto que na época do filme eu nunca assisti inteiro. Fui ver inteiro faz poucos anos, e com muito custo. Justamente por algumas características que vocês destacaram: o ritmo do filme é lento (propositadamente diante da proposta), a história é simples e o cenário é mais simples ainda. O debate dos assuntos tratados, sejam abertamente ou nas entrelinhas, é muito interessante pra muita gente, mas eu sinceramente nunca dei muita bola pra “dramas familiares adolescentes” (resumindo). Eu sempre gostei dos filmes da mesma época, mas esse realmente não é pra mim. Mas, novamente, a conversa de vocês foi ótima, e me lembraram muita coisa! O desabafo do JP foi muito bom, e eu fiquei aqui “concordando e aplaudindo por dentro” também, hehehe! Quase caí pra trás quando falaram que o nerd do filme era o Bill Gates dos Piratas de Silicon Valley, hahaha! Abração

  • Engraçado que mesmo seja um filme lá no final da década de 80, as temáticas e os problemas de cada um ainda surgem na vida atual, quem dera que com um cenário, cinco pessoas debatendo e falando dos seus causos saísse um filme bem bolado e sem contar a música do Simples Minds que ainda cantarolo pelo seu refrão. Para béns pelo cast e até a próxima Malhação kkk.

    • ManoBeto

      Bem apontado Tiago!

    • Acho que passarão 10 mil anos e os conflitos entre adolescentes e seus pais continuarão a existir.
      Esse filme, ao meu ver, é atemporal.

      Obrigado pelo comentário, Tiagão!

      • Fábio Pacheco Alcantara

        Isso ai. É por que certas estruturas não mudam.
        Troca aquela redação que uma das grandes preocupações dele e coloca o ENEM e outras provas que se avolumam de forma covarde nos ombros de jovens que mal sabem do mundo e quase sempre são muito mal apresentados e preparados para ele.

  • Fábio Pacheco Alcantara

    É interessante ver como esse filme não pega de cara, pensei que isso tinha ocorrido apenas comigo, bom saber que isso é bem comum.
    Esse filme fala com os jovens de várias realidades do mundo, apesar de terem realidades diferentes, sempre vai ter um ponto em que esses jovens irão se identificar, idem para o tempo, ele ainda é bem atual. Ele é quase um filme didático. 🙂
    Ainda bem que esse filme não feito nos dias de hoje. Se fosse, com toda certeza teria um filme para contar a história de como eles chegaram ali, um outro filme para contar a história do que aconteceu depois, enfim, acabariam com uma bela história. 🙂
    O diálogo do diretor com o faxineiro é um dos melhores do filme, é um recado para os adultos que fazem pouco caso dos jovens.

    Ficou ótimo,
    vocês falaram da forma mais descontraída e alegre sobre esse grande filme.

    • Que bom que você gostou. E esse diálogo é bem forte mesmo.

      Muito obrigado pelo comentário, Fábio. Isso incentiva a gente demais!

      • Fábio Pacheco Alcantara

        Disponha é muito bom curtir as jogatinas do fim de semana ouvindo vocês.